segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Sartre, o olhar sensual

E aí danadinhos estudiosos, a segunda-feira de volta às aulas começa arrebentando com Colírio Nerd, a promoção da beleza com contiúdo.
E a delícia da semana é o parisiense Jean-Paul Charles Aymard Sartre, ou, o gostoso existencialista, para os mais íntimos.

O nosso colírio nerd dizia que sabia da sua não aptidão estética, ou seja, sabia que era feio demais, e por isso dizia fazer questão de pegar sempre mulher bonita, para auto-afirmar a sua capacidade. O Sartre é, basicamente, o mascote sexy do colírio nerd, porque traduz a essência da sensualidade curricular.
Além disso, é claro, não podemos desprezar seu olhar sensual, capaz de mirar a loirinha, a moreninha, a mulata e a ruiva, ao mesmo tempo




Vou contar uma historinha sartreana para vocês verem como o menino tinha approuch: um dia ele ganhou uma bolsa de estudos (gemido de tesão) e foi para Alemanha. Acontece que lá, meus xuxus, era o Adorno que arrepiava nas cantadas, ou seja, sem saber falar alemão direito fica difícil, dado os obstáculos linguísticos,  ter um qualéqueé com uma nativa. É claro que o nosso pegador sensual não ficou sozinho e investiu numa francesa mesmo. Lembrando, é claro, de uma história que eu quero que TODO MUNDO QUE LÊ O COLÍRIO NERD APRENDA: O Húngaro, incapaz de chavecar uma francesa, disse: "Você não sabe como eu sou espirituoso em Húngaro". Aprenderam, pessoal? Qualquer fracasso em línguas estrangeiras, faça o carão e diga "Você não sabe como sou espirituoso em português" e arrasou.

Além de ser essa delícia toda, o Sartre pegou ( e como pegou ) uma das mulheres mais fodas da história do universo nerd: Simone de Beauvoir. BEAU VOIR BELA VISTA. combina super com ele né?




O que é mais interessante desse casal tesudo é que, em meados do século XX eles já estavam prefigurando o que hoje está maior na moda: O RELACIONAMENTO ABERTO.

É isso aí, se você se acha maior moderninho porque resolveu ter um relacionamento aberto, eu te digo, moderno era sartre, que pegava geral e ainda inventou o existencialismo. A-há!

Tudo bem que a Simone sofreu um pouco com a libido insaciável do sensual visionário. E ele era malandro, pegava geral as meninas que a SIMONE tinha pegado, e que eram delicinhas. Mas sem conflitos de relacionamento nesse post, viemos falar da sensualidade imanente desse homem.
Olha, eles vieram pro Brasil:


Esse foi um casamento que rendeu sensualidade e inteligência, além de muita pegação.

Espero que vocês tenham ficado muito excitados com o colírio nerd dessa semana, e interessados por saber mais sobre eles: As informações foram tiradas do livro Tête-à-Tête uma biografia feita pelo Hazel Rowley. 
É da objetiva, e custa 62.00 reais.

Um beijo seus deliciosos, comentem esse blog e vão estudar pra ficar bem tesudos.

8 comentários:

Val disse...

acho q ele olhou pra mim =)

Lady Mayfair disse...

Esse post está me matando de rir. Ganhei minha segunda!

minicontosperversos disse...

Belas:

1) Obrigado pela dica do "espirituoso em português;

2) A Mdme. Beauvoir podia ser uma mente privilegiada, mas não era lá aquelas coisas de beleza; portanto, fica fácil ter relacionamkento aberto com ela

Carol disse...

seduziu-me.

Adriano disse...

"Faço filosofia porque sou horroroso. Se não fizesse, nunca pegaria ninguém." - Jean-Paul Sartre em sua última entrevista ao Le Monde.

Torto disse...

ele comia todas, né não?

Morto disse...

Sartre devia ter um existencialismo bem grande, que a dona Beauvoir quis não só "para-si", mas principalmente "em-si"!
(trocadalhos do carilhos nº2)

Mariana Pizente disse...

desse jeito,eu estudo com um entusiaaaasmo, huhuhuhu, acho que ele tb olhou pra mim ;x