terça-feira, 8 de março de 2011

Post para mulheres

Nada mais conveniente do que fazer um post dedicado ao dias das mulheres, né? Justo nós que queremos tanto inventar e reinventar o nosso gênero. Eu sou incapaz de dizer o que penso do dias das mulheres.Acho justo, acho mal interpretado, acho mal vivido, acho que perdeu importância, acho que a mídia estragou. Mas eu acho isso de tanta coisa que dou menos importância do que ser mulher. Sabem, passei o Dia Internacional da Mulher trabalhando e sentindo cólicas. Irônico, né? Eu não teria como ser mais coerente. E por me sentir tão mulher e tão apaixonada pela força feminina que sou incapaz de escrever um post realmente bom sobre esse dia. Daí que pra não deixar ninguém na mão nessa linda terça feira de carnaval, colo um post que publiquei nos idos do Reveillon desse ano no meu blog pessoal. É tudo o que eu tenho pra dizer sobre mim, sobre elas e sobre nós, mulheres.

Mulher no fim do ano, mulher no fim do mês.

Mulher é de Lua, mulher ninguém entende. Eu tô cansada de ter que me assumir como mau humorada para que entendam que eu não tenho a menor paciência para a grande maioria das coisas. Mas tem dia que é pior, e não é só (mas pode ser) tpm. Tem dia, tenho a impressão, que eu acordo com os olhos mais abertos e noto que meu amigo genial fez merda, que minha mãe, tão doce, está azeda, que a cerveja não desce, e que meu namorado não tem um gosto tão diferente assim do da maioria dos homens. E que por mais que eu seja inteligente, às vezes eu preferia ser gostosa. Tem dia que, pelo contrário, eu acho tudo uma maravilha e irrito as pessoas com meu bom humor inabalável. Disseram que eu sou multipolar, mas eu acho que eu só sou mulher. Dessas mulheres que fazem uma semana de regime e estragam tudo com três dias de bebedeiras seguidas com os amigos. Dessas mulheres independentes de uma nova geração, tão livre, tão descolada que se sobrecarrega de tanta coisa e esquece de cuidar de si e maldiz, uma vez ou outra, a própria independência e liberdade. É fim de ano e toda mulher faz pelo menos uma resolução de ano novo. Eu fiz a minha: vou cuidar de mim e não dos meus três empregos, ou do mestrado, ou da amiga que tem um primo cujo vizinho perdeu a perna. Mulher acha que consegue cuidar de tudo. Eu sei, moro com cinco mulheres e, não bastassem os muitos problemas que cada uma tem, ficamos todas uma querendo salvar a outra e não percebendo que, se cada uma se cuidasse seríamos mais tranquilas. Mas menos parecidas com nós mesmas, não é? Porque, no fundo, por mais que a gente faça resolução de cuidar de si mesma, e passar creme no olho e malhar e se amar mais, a gente só se reconhece no abraço da amiga, nas calorias que a gente consome pra tomar uma cerveja com o amigo do primo do vizinho que terminou com a namorada, ou pra fazer uma jantarzinho gostoso pro namorado, mesmo sabendo que ele não engorda e você engordará pelos dois. Depois, pode ser, que seu amigo não te faça companhia se o primo do seu vizinho tiver terminado o namoro. Depois, pode ser, que seu namorado não se canse de achar meninas magérrimas bonitas, mesmo dizendo que você tá bem assim. Depois, pode ser, que você precise de um quarto ou quinto emprego. Mas tudo bem, porque você é mulher, multipolar e suporta tudo, com uma amiga, uma cerveja e todas as calorias que essa combinação acarreta. Vai abraçar o mundo, mulher. E no fim do próximo ano, vê se resolve cuidar mais de você...

4 comentários:

Lady Mayfair - Carol Caran disse...

Como sempre, colocando nas palavras tudo que a gente pensa e sente. Te amoooooooooooooo!

Carol disse...

lindo! linda!

Anônimo disse...

Esse blog está indo a falência, graças à Deus! Isso mostra que a sociedade é ainda conservadora frente à mulheres que só sabem fornicar

Carol disse...

RISOS